MatheusMáthica: "O lado interessante e curioso da Matemática"

Sejam Bem-Vindos a MatheusMáthica....

Seguidores

terça-feira, 11 de maio de 2010

Origami

De uma forma simples, Origami é a arte de dobrar o papel, pois "ori" vem do verbo "oru" que significa dobrar e "gami" vem da palavra "kami" que significa papel e quando ditas juntas a letra "k" é substituída pelo "g".

História

O costume de dobrar papéis e tão antigo quanto o surgimento do papel. Pensa-se que a invenção do papel se deva a T'sai Lao, administrador no palácio do imperador por volta de 105 d.C. Este teria misturado cascas de árvores, panos e redes de pesca para substituir a dispendiosa seda que à data se utilizava para escrever. Esta tradição cultural foi, durante muito tempo, transmitida apenas verbalmente. A sua origem permanece incerta, embora se pense tenha sido introduzida no Japão por volta do século VI, por intermédio dos monges chineses, mas só a nobreza tinha acesso, pois era considerado um artigo de luxo, usado em moldes de quimonos e em festas religiosas.

A princípio tinha caráter simbólico nos rituais das cerimônias. A evolução desses envoltórios com dobras cada vez mais complexas e atraentes foi sendo apresentados de maneiras diferentes, seguindo algumas regras básicas, respeitadas por todos que dobravam. Os japoneses transmitiam as figuras que criavam através da tradição oral, onde as formas eram passadas de mãe para filha.

As primeiras instruções escritas sobre o Origami apareceram em 1797 com a publicação do 'Senbazuru Orikata' (Como Dobrar Mil Garças) a partir daí o origami tornou-se uma forma de arte muito popular. O livro “Kan No Mado”, publicado em 1845, incluía cerca de 150 modelos de origami, dentre eles o origami de sapo. Este é o marco do crescimento do Origami como atividade recrativa no Japão.

Foi no século XX que graças a Isao Honda, no Japão, e Miguel de Unamuno, na Espanha que a arte de dobras papéis começou a expandir, pois eles realizaram uma cruzada quase simultânea para conseguir a consideração das classes mais cultas em relação ao origami. É certo que o desenvolvimento da arte de dobrar papel tal qual a conhecemos hoje somente aconteceu nos últimos 50 anos. A prtir de então, vem sendo praticada ativamente desde a escola básica até os círculos acadêmicos de todo o planeta. 

Akira Yoshizawa é o pai da Origami Moderno, ele inventou os Símbolos usados nas atuais instruções passo-a-passo, para ele o Origami é uma filosofia de vida.

O origami hoje é qualificado como contribuição importante ao estímulo da criatividade, aumento da capacidade de concentração, desenvolvimento da coordenação motora e motricidade fina, visão espacial e forma de expressão.
Com tais qualificações, esta arte-magia compõe programas de atividades desenvolvidas por psicomotricistas, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais atuantes na área de reabilitação e pedagogos no ensino da matemática e geometria. Também, a psicologia vem fazendo uso do origami para estabelecer relações, permitir análises e interpretações e ainda facilitar o trabalho de integração social.

Origami e Matemática

Todos nós já dobramos uma folha de papel, no entanto são poucos os que dobram intencionalmente com o intuito de estudar idéias matemáticas implícitas. A dobragem de papel é uma atividade que é tanto recreativa como educacional. Recorrendo a materiais simples, como papel A4, revistas, papel de embrulho, papel de lustro podemos de uma forma divertida aprender Matemática.

A arte de dobrar papel ajuda os alunos a aprender e a comunicar Matemática. É fácil de aprender e simples de usar. As atividades geométricas são um excelente meio para desenvolver a comunicação matemática. Dobrando e desdobrando podemos observar por meio dos vincos formados retas, ângulos, simetrias e figuras geométricas. Podemos reconhecer e analisar propriedades de figuras geométricas, utilizar a visualização e o raciocínio espacial. Explorar os conceitos de tamanho, forma e medida, incentivar a escrita matemática e motivar os alunos para a disciplina.

As dobragens praticadas em grupo permitem o debate de idéias, o esclarecimento de conceitos e o desenvolvimento de estratégias individuais e coletivas. São estas atividades de aprendizagem que permitem o desenvolvimento da criatividade, da concentração e persistência, capacidades fundamentais para se ser matematicamente competente.

Dicas para uma boa dobradura

Trabalhe sobre uma superfície lisa, plana e bem iluminada, para facilitar as dobras.
Procure estar com as mãos limpas.
Utilize sempre um papel cortado simetricamente.
Faça as dobras com muita atenção, passando a unha do polegar ao longo de cada uma para acentuar o vinco.
Procure seguir os diagramas sempre na seqüência.
Na dúvida sobre um determinado passo, procure ver como ficará a figura no passo seguinte.



Boa sorte...

Nenhum comentário:

Postar um comentário